domingo, 22 de março de 2009

Manifesto contra a Pena de Morte

A pena de Morte evita, ou diminui, algum tipo de crime violento? Os países com pena de Morte têm menor índice de criminalidade? Temos o direito de condenar à Morte outros seres humanos? Sendo a pena de Morte definitiva, não estamos a correr o risco de cometer injustiças irremediáveis? Jeremy Irons com toda a sensibilidade, inteligência e capacidade de comunicação, que lhe são reconhecidas, transmite-nos a sua posição na defesa da abolição da pena de Morte. Um libelo poderoso a não perder. E qual é a sua posição a este respeito?

9 comentários:

  1. Muito provavelmente, o melhor papel da vida de Jeremy Irons.
    O pano de fundo é a Declaração Universal dos Direitos do Homem, aprovada pela ONU em finais de 1948, que proclama o Direito à Vida e determina que Ninguèm será submetido a Tortura.
    Saddam Hussein era um criminoso. Inqualificável.
    Mas uma das Grandes Vergonhas do nosso século, enquanto Seres Humanos, foi a gravação da sua morte em directo, à qual os mais voyeurs podem assistir, ainda hoje, na Internet.

    Neste libelo
    "O Direito à Vida é ilaneanável".
    "A Pena de Morte é inaceitável".
    "E nós, não queremos ser como eles".

    ResponderExcluir
  2. Alguma vez haviamos de estar de acordo...
    Jeremy Ironsnum pequeno discurso emocionado e convincente até porque a sua posição é , segundo eu, a única defensável.
    De notar os comentários aos USA.
    Sei que o Galo, o João Viegas, não gosta que eu diga que este blog pode, deve, ter uma função didática.
    Mas quando, no mesmo dia, pôe um vídeo como este e como o da água, o que é que acha que está a fazer?

    ResponderExcluir
  3. Tenho pena que meu inglês não chegue para entender tudo,tudo...mas adorei a mensagem e a maneira dele dizer.

    ResponderExcluir
  4. Sou naturalmente contra a pena de morte e devo dizer,totalmente a favor da pena de vida.
    E é sempre bom que alguns usem e abusem do seu estatuto de estrelas para denunciarem o inaceitável!

    ResponderExcluir
  5. Margarida Ferreira dos Santos23 de março de 2009 09:58

    O estilo angustiado e sensível de Jeremy Irons não se podia ajustar melhor neste manifesto. Muito bom!
    Sou em definitivo contra a pena de morte. Entendo que ninguém tem o direito de, deliberadamente, tirar a vida a quem quer que seja, arrepia-me que qualquer erro cometido jamais possa ser reparado (quem não se lembra de Hurricane, entre tantos), defendo o direito à vida, um direito de todos.

    ResponderExcluir
  6. As Mulheres estão a tomar o Poder( e só agora é que percebeste isso Pedro?)mas claro que eu também sou contra a Pena de Morte e apesar de não ter pelo Jeremy Irons esses arrebatamentos de fâs, acho que fez uma boa interpretação.Ai,ai...

    ResponderExcluir
  7. MTH, o que eu lhe posso afirmar é que não me integro em qualquer associação religiosa, política ou de outra espécie, e sinto-me completamente livre para expôr as minhas ideias e defender as minhas convições, independentemente destas serem de esquerda, direita ou centro, budistas ou católicas, morais ou amorais, politicamente correctas ou não.
    Para além disso, o que lá para trás afirmei, e repito, é que o "Galo" não nasceu para defender "causas" ou ser a "locomotiva da classe operária"mas sim para gozo próprio e das pessoas, como a MTH, que têm colaborado para o tornar algo de interactivo , multiopinativo e inesperado. Obrigado a si e a todos os comentaristas, leitores e amigos, porque sem esse grupo coeso mas com perfis díspares, o "Galo" andaria sempre com a crista para baixo.

    ResponderExcluir
  8. Só defendo a Pena de Morte para Monostatos e a Rainha da Noite.

    ResponderExcluir
  9. Não! Por favor! Pena de Morte não! Nem pensar! De forma alguma! Jamais! Sou mais uma praia, um futebol, cerveja gelada, mulher bonita...

    ResponderExcluir