quarta-feira, 25 de março de 2009

Uma das, poucas, certezas de Alegre

"Em Bruxelas não há Sol, não há Sul,
não há Mar, nem Alentejo"

Manuel Alegre
ao explicar as causas para não se candidatar ao Parlamento Europeu

7 comentários:

  1. Cheira-me que esta citação ainda vai ficar na História... do tipo "Bardamerda para o fascista!" do Pinheiro de Azevedo ou até um "Chapéus há muitos, seu palerma!", do Vasco Santana/Vasquinho da Anatomia.
    Aliás, se virmos bem, o teor é mais ou menos o mesmo, não vos parece?

    ResponderExcluir
  2. E já que se cita Pinheiro de Azevedo convem não esquecer "O Povo é Sereno..."

    ResponderExcluir
  3. E em Portugal já não há paciência para o Manuel "Triste" !!

    ResponderExcluir
  4. Eu continuo a gostar da pose, da voz e da cabeça de tribuno de Manuel Alegre, para além da sua poesia,lindíssima.
    Agora ideias políticas, é "outro campeonato" ou"outros quinhentos"como diria a minha amiga Sapho.

    ResponderExcluir
  5. A Voz, a Poesia ue uma grande Vaidade oca...

    ResponderExcluir
  6. Margarida Ferreira dos Santos25 de março de 2009 16:15

    Acho Manuel Alegre anda a "cuspir na seu prato da sopa"...de voz discordante do partido(e que bom existir ao menos uma voz dissonante)passou a crítico de serviço! Não concorda, não gosta, então mude de ares! Bom para ele, bom para nós...ficamos-lhe gratos por nos deixar apenas com a sua voz, a sua poesia, e estas suas causas que também são nossas: sol, sul, mar, alentejo...

    ResponderExcluir
  7. Alegre, Alegre… uma voz discordante do partido que ajudou a criar que começa a perder o norte de tão independente que quer ser

    ResponderExcluir