quarta-feira, 8 de abril de 2009

Bus Stop

Viu-a na paragem. De passagem, de corrida.
Ela estava a subir para o autocarro.
Mas ouve um relance de olhos.
Um afogueamento súbito.
A pele muito branca. O cacheado louro do cabelo.
O polpudo dos lábios.
Um certo ar perverso. Que o perturbou.
E depois o prolongar do olhar
já dentro do veículo.
O sinal de amanhã (?) no mesmo local.

Durante todo o dia, a imagem dela perseguiu-o.
Cenários eróticos foram-se construindo.
Diálogos. Gestos. Toques.

No dia seguinte, ainda antes da hora,
ele lá estava na mesma paragem.
Minutos depois, chegou ela.
Serena. Imperturbável. Deusa viva de volúpia.
Não trocaram palavra. Mal se olharam.
No momento em que o autocarro chegava,
ele entregou-lhe um cartão.
Preparado na véspera. Nome e telefone.
Ela recebeu-o, sem um aceno.
Hora depois telefonou.
Nesse mesmo dia, fizeram amor.
Amor, não, sexo.
Sexo descontrolado, selvático.
Nos limites da violência.
Ela, a esfíngica, atingia êxtases de loucura.
Orgasmos múltiplos, num histerismo contagiante.

Durante anos encontraram-se.
Diálogos monossilábicos.
Só sexo. Sem limites.Tabus. Ou moral.
Anos, em que soube o seu nome.
E pouco mais.
Também não interessava.
Ao vestirem-se, tornavam-se dois estranhos.
Sem nada a partilhar.
Sem confidências, nem ternuras.
Sem projectos. Nem futuro.
Apenas sexo no estado mais primitivo.
Puro e selvagem
Animais em cio.
Apenas sexo.
Mas já era muito...

6 comentários:

  1. E aqui então é uma malandrice de alta classe.
    Grande carga erótica,a dignificar ou "justificar", como se tal fosse necessário, o sexo pelo sexo, sem amor nem promessas.
    E a dizer que o one night stand style pode afinal durar muitas noites, ou tardes ou manhãs.textos como este é que me fazem começar o dia a abrir o computador no Galo.

    ResponderExcluir
  2. E porque é que tem que ser fantasia?
    A realidade muitas vezes copia a ficção.
    Mas o galo é que saberá.

    ResponderExcluir
  3. Anónimo Cobardola8 de abril de 2009 07:16

    Tive uma relação de 6 anos baseada apenas em Sexo.
    No dia em que percebi que afinal era Amor, acabou.

    ResponderExcluir
  4. É lá, isto não é um conto, é um relato vivido por muitos de nós.
    E milhões de muitos outros.
    Ide em Paz porque seremos perdoados...

    ResponderExcluir
  5. Relações de só Sexo sem Amor já tive várias, mas existem sempre momentos de cumplicidade ou confidências.
    O caso aqui retratado, idealizado? é diferente.
    Tudo se esgotava a seguir ao sexo...

    ResponderExcluir