quinta-feira, 1 de outubro de 2009

As Cores dos meus Amores

Tive um Amor vermelhão.
A paixão mais violenta.
Mas descobri, com horror,
era Amarelo e Magenta.
Tive um Amor amarelo.
Amarelo desespero.
Se tê-lo foi desespero
mais desespero, foi perdê-lo.
Tive Amores de várias cores,
violentos, matizados.
Foram dores e alegrias
nos mais variados tons.



Tive um Amor de cor púrpura
cor, p'ra mim, desconhecida.
De fugida, lhe toquei
mas deixei-o à deriva.



Tive um Amor transparente
transparente como água.
Mas com mágoa, de repente
perdi a sede de tê-lo.

Tive um Amor que foi pó

que ao assentar se desfez.

Ao procurar, não o vi.

e fiquei só, outra vez.

8 comentários:

  1. Este pacóvio que sou eu, anda encantado com as maravilhosas imagens com que o Galo nos brinda logo pela manhã.
    E isso é tão mais importante porque entremear a vinda ao blog com a leitura dos jornais, é um petisco matinal que não dispenso.
    Acrescente-se a leitura dos comentários. para todos os gostos e ainda bem.
    Estas fotos são lindas.

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho um Amor com as cores do Arco Íris...

    ResponderExcluir
  3. ...Excelent!!!

    ResponderExcluir
  4. Johnny, as imagens são sensacionais, e o texto não lhes fica muito atrás.

    Dá para perceber o que andaste a fazer na vida, eu compro !!

    ResponderExcluir
  5. conheço todas estas cores de amores

    ResponderExcluir
  6. Amizades coloridas, sempre...
    Relações sérias cinzentonas, nunca!!!

    ResponderExcluir
  7. Os meus dois últimos amores foram escuros, muito escuros.
    Foram mesmo preto escuro...

    ResponderExcluir
  8. Magnífico, João!
    Muito tocante.
    Vê-se que é homem "de pincel"!

    Agora, fiquei CORada por completo!
    Parafraseando a Sapho - amei!

    Gostei, também, dos comentários, especialmente o da MTH - bonita e apropriada analogia...

    ResponderExcluir