segunda-feira, 4 de maio de 2009

Feira do Livro - Ame-a ou Deixe-a

Há mais de 50 anos que vou à Feira do Livro.
Comecei quando ainda era na Avenida da Liberdade, quase junto aos Restauradores, por altura dos Santos Populares.
E depois, com excepção das duas temporadas em que vivi fora de Portugal, tenho visitado a Feira anualmente, como se uma força superior me obrigasse a isso.
Estão a ver o Richard Dreyfuss nos Encontros Imediatos do 3º Grau? Pois é mais ou menos uma coisa assim...
Este ano, para mim, a Feira tinha outro aliciante - a Literatura Brasileira era a Convidada Oficial.
Para além dum pequeno e ranhoso pavilhão com meia dúzia de livros para consulta, e não para venda, nada vi que justificasse tão honroso convite...
Mas, mesmo assim, a visita até começou bem.
Logo de início, deparei-me com um pavilhão com o nome de uma das mais carismáticas comentadoras do "Galo".
Esfreguei as mãos de contente, ia, por fim, conhecer a enigmática criatura.
Falso alarme, no stand apenas uma pálida funcionária de pastilha elástica interminável, atendia os poucos clientes, com ar de enfado. Fica para outra altura...


Os poucos editores com quem troquei impressões mostraram o seu desagrado perante a mudança do horário, a manutenção do local ( todos preferiam o Parque das Nações) e disseram-me que a afluência de público tem sido reduzida.

Todos os anos juro a mim mesmo que Feira do Livro "jamais"( ler com french accent, please) e depois, na edição seguinte, já vão na 79ª, lá estou eu caído outra vez.








Mas desta vez fui de livre vontade e até levei máquina fotográfica.
Diziam-me, as televisões, que as mudanças eram mais que muitas.
Novo horário, novo visual dos stands, nova dinâmica.
Pensei para comigo...que belo post que vais fazer, rapaz.


Mas a realidade superou qualquer expectativa.
Para além das esperadas Bertrand e Bizâncio, Estampa e Presença, ou Avante e Oficina do Livro, encontrei a Churraria da Núria, as Farturas do Otário ( como é que eles me terão reconhecido?),
as Queijadas de Sintra, montes de quiosques da Olá e dos Cafés Tofa, publicidade a um Restaurante Afrodisíaco e, até, last but not the least, o Pançudo das Bifanas.
Com esta última editora, dei por concluída a minha peregrinação livreira e corri para a FNAC mais próxima...
Ar condicionado, bom atendimento, boa exposição dos livros e possibilidade de encomendas.
Para o ano não volto à Feira...
...a não ser que até lá, me tenha esquecido do Pançudo.

79ª Feira do Livro
Parque Eduardo VII
30 de Abril a 17 de Maio
2ª a 5ª feira 12h30/20h30
6ªfeira 12h30/23h
Sábado 11h/23h
Domingo 11h/22h

12 comentários:

  1. Há uns anos que não vou à Feira do Livro - sempre a questão dos horários... e, pelos vistos, não será tão depressa que me apanham lá!
    Na Avenida da Liberdade, talvez; mas, no Parque, nunca encontrei grandes raridades e pechinchas. E para isto, antes a velhinha Feira Popular, que já sabia ao que ía e, normalmente, iá lá todos os anos - adorava os churros, as rifas e as panelas, mesmo sem nunca me "sair" nada...

    Pena o stand da Quimera não ser da propriamente dita!
    Outro "Galo" cantaria...

    ResponderExcluir
  2. Perdi a tenção, por dentro estou mais velho que bocêsesdes. :-)
    Hoje em dia, amazons e o que o valha comigo, ou então através da minha cunhada Isabel, que é uma pessoa culta e que lê... (e sabe onde é a Ferin) :-p

    ResponderExcluir
  3. Moira de Trabalho5 de maio de 2009 04:40

    Só de pensar ir, fico cansada - e reparem que fala a Moira Pápa-Léguas... de biciclete.

    Há muitos anos que não me lembro de comprar o que quer que seja na feira do Livro.
    Acho que a última vez lá gastei dinheiro foi pela suspresa de encontrar números antigos da Architecti.

    Das últimas vezes nem saldos, nem surpresas. Nicles.

    Este post fez-me prometer que este ano irei, mesmo. Os doutos colegas fazem ideia do quão difícil é encontrar uma roulote de farturas nesta cidade?!?

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que nunca fui a nenhuma Feira do Livro( mas gosto de livros, atenção, talvez seja até por isso)mas para ver o stand Quimera estou até tentado a ir.

    ResponderExcluir
  5. Afinal a Contessa já comprou rifas...e o amiguinho tem uma cunhada culta, já são dois na família.
    Pois eu que não tenho Fnacs nem sei o que é a Ferin, aproveito as Feiras do Livro que vão fazendo por estes lados para comprar uns livritos a preços mais em conta.
    Coisas do povinho...

    ResponderExcluir
  6. As Feiras do Livro mais interessantes são as que se realizam em pequenas cidades "ditas de província", mas onde o bom gosto comanda e onde os lutadores contra a desertificação teimam em viver -FELIZMENTE! Há, geralmente, um cuidado extremo na escolha dos locais, no ecletismo da oferta, no ambiente, no atendimento...enfim... gosto muito!

    ResponderExcluir
  7. Voltando à de Lisboa, fui lá no fim de semana passado e assino por baixo o texto lá de cima.
    Os meus filhos compraram gelados e farturas, eu só comprei livros na praça da Leya, o calor era mais que muito e subir e descer o Parque vária vezes não é para qualquer um.
    Para o Parque das Nações, já !!!!

    ResponderExcluir
  8. MTH, "livritos" são uma "coisa" que de certeza te fica melhor a ti que o luto a Electra... :-P
    Quando e se decidires fazer o upgrade para livros, podias experimentar se o esforço não te for demasiado:

    ."Mourning Becomes Electra" - Eugene O'Neill
    http://en.wikipedia.org/wiki/Mourning_Becomes_Electra

    ."The Age of Extremes: The Short Twentieth Century, 1914-1991" - Eric Hobsbawm
    http://en.wikipedia.org/wiki/The_Age_of_Extremes

    Qualquer coisa que não entendas, já sabes, internet contigo... ou então pergunta. :-)

    ResponderExcluir
  9. E o alvega que é tão erudito e sabe fazer copy paste a propósito de tudo e de nada, para além de saber consultar a internet e como a outra nunca ter transmitido uma única ideia própria,já leu Alves Redol, Graciliano Ramos,Ary dos Santos, Luiz Pacheco,Soeiro Pereira Gomes, Manuel da Fonseca, José Saramago,Manuel Bandeira,Urbano Tavares Rodrigues,Jorge Amado,Carlos Drummond de Andrade,Graciliano Ramos e José Lins do Rego ?
    São esses os "livritos" que eu mais aprecio, mas talvez seja por não ter nenhuma cunhada culta...

    ResponderExcluir
  10. A mim a feira do livro deprime-me.

    ResponderExcluir
  11. Sim, MTH, já, todos eles. :-D

    Podes acrescentar ao teu "namedropping":

    "Agosto" - Rubem Fonseca

    e aqui tens o cele(b)rado "copy/paste":
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Rubem_Fonseca


    Boas leituras. :-)


    P.S.A Ferin é na Rua Nova do Almada, Baixa, Lxª...

    ResponderExcluir
  12. Porque será que, ali mais para cima, são referidos, apenas, Escritores de Língua Portuguesa..."engagés"???!!!
    A BOA Literatura não se esgota aí...

    ResponderExcluir