quarta-feira, 2 de setembro de 2009

O susto de Sócrates

"...José Sócrates chegou, ontem, bastante cedo à RTP, onde afirmou que a “verdade virá sempre ao de cima” no caso Freeport e que o PSD de Manuela Ferreira Leite “é o mais à direita da sua história”.
Eram 20h15 quando o secretário-geral do PS entrou para a sala de maquilhagem do novo centro de produção da televisão pública. Maquilhou-se em dez minutos e ainda não eram 20h40 quando entrou no estúdio. Sozinho.
Judite de Sousa demorou largos minutos.
Nesse penoso período, Sócrates, sério, fechava os olhos e preparava-se para a entrevista.
Alertado por um assessor para o facto de nem esboçar um riso, o secretário-geral do PS abriu um enorme sorriso, voltou-se para os fotógrafos, levantou-se, passeou um pouco pelo estúdio e voltou a sentar-se.
Foi então que olhou em volta, com um ar aflito, e chamou um assessor.
Tinha-se esquecido de um papel importante no carro.
Foi nesse momento que entrou no estúdio Judite de Sousa, sorridente, que de imediato pediu desculpa a Sócrates por o ter feito esperar.
Mas, nessa altura, quase com a entrevista a ir para o ar, a preocupação do secretário-geral do PS era o tal papel misterioso que nunca mais chegava.
Chegou, e começou a entrevista.
Sócrates procurou mostrar as diferenças com a líder do PSD e considerou que o uso da palavra “verdade” é uma forma de atacar o seu “carácter” e o dos outros adversários.
Sobre a votação do ‘Sexy 20 Platina’ do CM, onde foi o mais votado, respondeu que não liga a frivolidades, mas, no entanto, tem a vaidade de um cidadão comum..."

In Correio da Manhã

5 comentários:

  1. Pronto, já me estragaram o dia!
    Voltarei daqui a pouco, depois de me acalmar....

    ResponderExcluir
  2. Acalmado o meu susto ao ver tal figura, volto à escrita na certeza de que procederei de acordo com as melhores normas de educação e bom senso comentarista.
    A pessoa em causa, cujas algumas evidentes qualidades não desprezo, representa para mim o exemplo acabado do primeiro ministro que no tempo presente, o País não necessita.
    Não me posso nem devo alrgar mas por alguma razão muitos conhecidos politicos de vários quadrantes,igualmente o condenam e criticam.
    Será um alivio se ele partir.Ms não vejo melhor substituto no horizonte próximo.
    Solução?
    Consultar as pitonisas ...

    ResponderExcluir
  3. Mas não existirá em Portugal ninguém, de uma Esquerda moderna e moderada a uma Direita idem, idem, aspas, aspas capaz de governar este País?
    E não teremos todos nós de, igualmente, mudar de atitude e hábitos de trabalho, e passarmos a possibilitar a essa "avis rara" a possibilidade de levar o barco a bom porto?
    Queixámo-nos do Salazar, do Spínola,do Eanes,do Soares, do Cavaco, do Guterres,do Durão, dco PSL,e agora, cobertos de razão, do Sócrates...mas o mal estará só neles?
    E quem são "Eles"? Não serão o reflexo de um Povo pouco exigente, habituado ao nacional porreirismo, à cunha, às "pontes", ao receber sem trabalhar, ao pouco estudo, ao Futebol como Religião,etc, etc?
    Antes de termos bons Dirigentes, não deveríamos fazer algo para ter...bons Dirigidos?

    ResponderExcluir
  4. Comentário perfeito.
    Subscrevo !

    ResponderExcluir
  5. PMP que grande rentrée!

    ResponderExcluir