terça-feira, 18 de maio de 2010

Casamento entre pessoas

Existem muitos tipos de relacionamento entre pessoas...
Observem que tive o cuidado de referir pessoas e não pessoas do mesmo sexo, gays ou heterossexuais.
O caso pode resumir-se ao 'one night stand', tipo toca e foge, ao affair mais ou menos prolongado, mais ou menos às escondidas, à amizade colorida, aberta e com vários participantes, ao noivado convencional, ao 'juntar dos trapinhos', ao namoro sem projectos futuros e, finalmente, ao casamento.
Mesmo neste último caso, pode optar-se pelo religioso e pelo civil, com partilha ou divisão de bens, com ou sem filhos, apaixonado ou rotineiro...
Enfim, um vasto leque de opções em que cada um pode escolher a situação que mais se coadune consigo, com a companhia ou com o momento.
Então se duas pessoas do mesmo sexo já podem partilhar todo o leque acima referido - rapidinha, namoro, caso, amancebamento...- porque é que não se poderiam casar?
Que o casamento religioso, e estamos apenas a falar de catolicismo, lhes seja impedido , compreendo, já que temos(?) que aceitar determinadas regras para fazer parte de um determinado clube, mas pelo civil?
Na minha opinião, ganhou o bom senso, o respeito à diferença, o direito de cada um organizar e definir a vida de acordo com as suas opções.
Vive la Difference, vive la Liberté!!!

2 comentários:

  1. É assim mesmo. Cada um tem o direito de ser feliz com quem quiser, com ele, com ela, com o gato, com o cão ...

    ResponderExcluir
  2. Ninguém põe em dúvida o direito dos gays a viverem juntos e fazerem da actividade sexual o que bem entenderem. No entanto, entre homossexuais não pode haver casamento, porque este exige a existência de um casal. Coisa que não acontece com dois homens. Ninguém diz que tem um casal de patos na capoeira, se apenas tiver dois patos. Uma coisa é criar instrumentos jurídicos que acautelem os bens de dois homens que vivem juntos, caso venham a desentender-se, indo cada um para para seu lado. E se cada um tem o direito de ser feliz com quem quiser (o que nunca esteve em causa), casar dois homens é, no mínimo, um disparate. Porque, como já disse, sem casal não há casamento. Podem dar a essa união o nome que entenderem. Casamento, nunca!
    É por isso que eu, quando tenho de indicar o meu estado civil, esclareço que sou casado... com uma mulher!
    Se tivessem feito um referendo sobre a estúpida lei que instituiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo, não tenho a mínima dúvida de que ela seria rotundamente chumbada. Muitos dos que se manifestaram a favor, fizeram-no por entenderem que era politicamente correcto. Qualquer dicionário, por mais fajuto que seja, é a união, de facto ou de direito, de um homem e uma mulher.

    ResponderExcluir